A manutenção corretiva de equipamentos radiológicos é uma tarefa necessária para aumentar a vida útil dos aparelhos. Ela se aplica aos casos de dano não previsto ou manuseio inadequado.

Os cuidados para a execução dessa atividade envolvem a identificação correta do dano, realização de reparos consistentes com o problema, monitorização das peças fundamentais e ajustes para evitar novas ocorrências.

Por isso, se você precisa de informações a respeito dos cuidados na manutenção de equipamentos radiológicos, não deixe de ler este post!

Identificação correta dos danos

Cuidados com a manutenção corretiva de equipamentos radiológicos | STAR Telerradiologia

Quando um aparelho para de funcionar, é preciso entender as principais causas. Entre elas, podemos citar: falhas de energia, uso inadequado do equipamento e desgaste excessivo das peças fundamentais.

Dessa forma, é importante conhecer adequadamente:

  • o funcionamento de cada equipamento radiológico;
  • os procedimentos necessários relacionados à calibração e mensuração radiológica;
  • as consequências clínicas para o paciente.

Assim que for identificada a causa, é necessário solicitar a ajuda especializada para cada caso e avaliar a periodicidade. Em cada situação deve ser analisado se é preciso adquirir novas peças ou reparar aquelas em uso.

Realização dos reparos corretos

Os profissionais que fazem o reparo dos equipamentos trabalham em um dos problemas principais, mensurando as situações que influenciam no funcionamento correto do equipamento. Enquanto os radiologistas monitoram todo o processo.

Além disso, os dois profissionais fazem testes que avaliam a efetividade do conserto, bem como o tempo de vida dos aparelhos. Considerando a demanda por exames radiológicos, a manutenção deve ser efetuada o quanto antes, para evitar atrasos ou prejuízo aos serviços prestados aos pacientes.

Em alguns casos, a substituição do equipamento pode ser a melhor solução, se as manutenções estiverem ocorrendo com muita frequência.

Monitoramento das peças fundamentais

As peças fundamentais são aquelas que podem comprometer significativamente o funcionamento dos aparelhos radiológicos. Por isso, o conserto delas é um motivo de grande preocupação.

Em equipamentos radiológicos, elas são peças que monitoram a quantidade de radiação que será emitida durante o procedimento. O desajuste desses itens pode alterar a emissão da radiação e tornar a execução do exame em algo perigoso.

Além das peças fundamentais, outras igualmente importantes são aquelas que conectam o equipamento à energia elétrica e as que fazem o seu isolamento elétrico e térmico.

Histórico das manutenções realizadas

Após a realização da manutenção corretiva, é necessário fazer um levantamento dos principais reparos demandados por tecnologia. Esse diagnóstico serve como base para a tomada de decisão gerencial.

Um equipamento que necessita de reparos constantemente, conforme histórico levantado, deve ser analisado com maior cuidado, para compreender a eficácia da manutenção ou a qualidade do fabricante.

Ademais, em instituições hospitalares, já se aborda a questão da manutenção preventiva, de forma a evitar constantes reparos e melhorar a vida útil dos aparelhos, além da possível redução de custos.

A manutenção corretiva de equipamentos dentro de uma clínica é um procedimento corriqueiro, porém sua constância implica preocupação. Tomar todos os cuidados necessários garante a sua correta execução e que todos os seus objetivos sejam plenamente alcançados.

Você realiza a manutenção corretiva em seus equipamentos radiológicos? Está procurando informações sobre inovações em radiologia? Então, siga-nos no FacebookLinkedin e Google+!