Um raio X de tórax, ou radiografia de tórax, é um exame utilizado para produzir imagens do tórax através de pequenas doses de radiação ionizante. O exame é recomendado para avaliar a caixa torácica, pulmões e coração.

A radiografia de tórax pode diagnosticar condições que vão desde uma simples falta de ar ou tosse persistente até uma pneumonia ou câncer. É um exame rápido, muito útil em tratamentos de emergência e um dos mais solicitados na Medicina.

Para realizar o exame, não há nenhuma preparação especial. Falaremos desse e de outros detalhes a seguir.

O que é

A Radiografia é o método mais antigo e mais aplicado em diagnóstico por imagem, utilizado pelos radiologistas na Radiologia – uma especialidade da Medicina.

Na Radiografia utiliza-se pequenas doses de radiação ionizante (os raios X) para produzir imagens das estruturas do corpo.

Os exames de Raio X contrastados podem utilizar material de contraste radiológico à base de iodo ou bário, administrados por via intravenosa, retal ou oral, por exemplo. Para alguns exames, ao ser administrado no paciente, estas substâncias radiopacas melhoram a visualização de tecidos específicos (como o intestino).

Através da Radiografia, podemos ter o diagnóstico de ossos fraturados,  identificação de lesões em partes moles e a localização de “corpos estranhos ” no corpo.

 

Diagnósticos

Normalmente, quando um paciente vai a uma consulta médica com dores, lesões visíveis no tórax ou falta de ar, pode ser solicitado um exame de raio X de tórax, ou radiografia de tórax. Esse é um exame com foco na avaliação da caixa torácica, pulmões e coração.

Portanto, dentre as principais utilidades envolvendo o uso da radiografia de tórax estão:

  • Diagnóstico de pneumonia (uma infecção que ocorre nos pulmões);
  • Diagnostico de insuficiência cardíaca (incapacidade do coração de bombear o sangue de forma eficaz para os órgãos);
  • Diagnostico de enfisema pulmonar (uma doença que destrói gradualmente o parênquima pulmonar);
  • Diagnostico de câncer de pulmão  (tumor maligno pulmonar);
  • Diagnostico de tuberculose (doença infecciosa causada por uma micobactéria, relativamente comum em algumas regiões do Brasil);
  • Investigar fraturas ósseas;
  • Investigar sintomas inespecíficos que podem estar relacionados à alterações cardiopulmonares (como falta de ar, tosse, dor no peito ou febre);
  • Realizar testes de triagem para admissão de emprego, para imigração ou para admissão em organizações militares.

 

Como funciona

exame de raio x de torax ou radiografia de torax

Exames de radiografia de tórax são realizados pelo técnico em radiologia em uma sala especial de radiografia.

Durante o exame, o paciente deve remover joias ou quaisquer acessórios que possam obstruir o feixe de raio x em direção ao tórax. É solicitado que o paciente também remova peças de roupas acima da cintura, incluindo o sutiã, e vista um roupão.

A depender do protocolo de exame que será aplicado, o raio X de Tórax pode ser realizado, por exemplo, em três tipos de projeções: Póstero-Anterior (PA), Ântero-Posterior (AP) e Perfil. A mais comum é a póstero-anterior, em que o paciente fica de pé e com o peito pressionado contra o aparelho, com as mãos no quadril e os cotovelos deslocados anteriormente.

Instruções de respiração são passadas ao paciente durante o registro das imagens. Isso porque, inspirar e prender a respiração, por exemplo, pode melhorar a qualidade da imagem.

A projeção de perfil do paciente é solicitada quando se faz necessária uma avaliação mais pormenorizada do tórax. Neste caso, ele fica de lado para o aparelho e com os braços levantados.

 

O que o exame mostra

Quando o médico suspeita de uma doença cardíaca ou pulmonar, é comum que o primeiro exame a ser solicitado seja uma radiografia de tórax. O laudo do raio X de tórax pode revelar informações importantes sobre o paciente, tais como:

  • Estado dos pulmões: para detectar câncer, infecção ou “acúmulo de ar” no espaço ao redor dos pulmões (pneumotórax), o que pode causar um colapso pulmonar, chamado este último de atelectasia. O laudo médico também pode revelar doenças pulmonares crônicas, como enfisema pulmonar ou fibrose, assim como complicações relacionadas a essas doenças.
  • Problemas pulmonares relacionados ao coração: para detectar alterações ou problemas nos pulmões causados ​​por problemas cardíacos. Por exemplo, o acúmulo de líquido nos pulmões (edema pulmonar) pode ser o resultado de insuficiência cardíaca.
  • Tamanho e a forma do coração: visto que mudanças no tamanho e na forma do coração podem indicar insuficiência cardíaca, acúmulo de líquido ao redor do coração (derrame pericárdico) ou problemas nas válvulas cardíacas.
  • Imagem dos vasos sanguíneos: como os contornos dos grandes vasos próximos ao coração podem ser vistos no raio X, eles podem revelar, por exemplo, aneurismas aórticos (dilatação da artéria aórtica)Podem revelar também calcificações vasculares ou valvares.
  • Fraturas na região torácica: como em costelas, vértebras, esterno e clavículas. As fraturas de costelas ou coluna, além de outros problemas ósseos, também podem ser diagnosticadas na radiografia de tórax.
  • Alterações pós-operatórias: o raio X de tórax também é útil para monitorizar pacientes após uma cirurgia torácica, de forma que o médico pode observar, através da radiografia de tórax, o posicionamento correto de eventuais tubos que foram colocados na cavidade torácica para melhor recuperação do paciente.
  • Posições de marcapasso, sondas ou cateteres: os eletrodos de marcapasso são ligados ao coração para ajudar a controlar a frequência e ritmo cardíacos. Os cateteres são pequenos tubos usados ​​para administração de drogas ou diálise, por exemplo. Nesse contexto, o raio X de tórax pode ajudar a monitorar as posições desses equipamentos após sua colocação.

 

Imagem de Raio X de Tórax

imagem de raio x de torax ou radiografia de torax

As imagens do raio X de tórax mostram os órgãos da região torácica e são produzidas em tons de cinza. Basicamente, o que impede a passagem dos raios x fica branco e o que permite fica preto, na imagem gerada.

Os ossos aparecem na tonalidade mais clara porque são mais densos, assim como o coração. Já os pulmões, cheios de ar, aparecem em uma tonalidade mais escura.

O médico especialista em diagnóstico por imagem (radiologista) analisa o exame e procura pelas alterações possíveis, algumas das quais mencionamos aqui. O radiologista então emite o laudo, que é entregue ao médico solicitante, que por sua vez associa os achados do exame com as condições clínicas do paciente e, por fim, define uma conduta.

 

Riscos

É normal que o paciente se sinta preocupado com a exposição à radiação em qualquer exame de imagem. Brevemente, propomos a máxima de que os benefícios superam os riscos. Aliás, a exposição a essa radiação é tão baixa quanto a que estamos expostos em diversas outras fontes naturais de radiação no ambiente.

Além disso, há também a biossegurança na radiologia, em que o paciente pode usar um avental de proteção, reduzindo ainda mais a exposição em excesso à radiação. Vale ressaltar ainda, que em casos de gravidez ou suspeita de gravidez, há procedimentos específicos para proteger o abdômen da radiação.