Para ser um médico radiologista você precisa se formar em medicina e fazer residência médica em radiologia e diagnóstico por imagem. Trata-se de uma das especialidades médicas que vem crescendo muito nos últimos tempos por ter um bom mercado de trabalho e um retorno financeiro razoável.

Além disso, é uma profissão que exige muita responsabilidade e tem um papel importantíssimo na vida de toda a população. Isso porque um médico radiologista tem um papel central no diagnóstico de boa parte das doenças, além de ter papel no tratamento de diversas patologias através de procedimentos de radiologia intervencionista.

 

Índice

  1. O que é a Radiologia?
  2. Quem pode ser um médico radiologista?
  3. O que o médico radiologista faz?
    1. Diagnóstico por imagem
    2. Radiologia intervencionista
  4. Qual a diferença do técnico em radiologia para o médico radiologista?
  5. Como é a especialização em Radiologia e Diagnóstico por imagem?
  6. Onde fazer a especialização em radiologia no Brasil?
    1. Hospital das Clínicas – FMUSP
    2. Hospital Albert Einstein
    3. Beneficência Portuguesa de São Paulo
    4. Hospital Sírio-Libanês
  7. Onde atuar como Radiologista e qual a remuneração?

 

O que é a Radiologia?

exame de radiologia diagnóstica


A Radiologia é uma especialidade da medicina que tem como principal objetivo diagnosticar doenças através da interpretação de imagens de exames radiológicos dos órgãos do corpo. Isto é, a partir da análise das imagens do exame, o médico radiologista emite um laudo, presencialmente ou a distância (através da telerradiologia), que contem uma descrição dos achados de imagem e suas impressões diagnósticas.

A radiologia é uma especialidade vital para todos os setores da saúde e essencial para o diagnóstico de muitas doenças. É parte importante dos rápidos avanços tecnológicos para diagnóstico e tratamento de doenças e lesões. Algumas de suas características:

  • Permite determinar a necessidade de uma cirurgia
  • Possibilita diagnósticos não invasivos que só seriam possíveis através de procedimentos cirúrgicos exploratórios
  • Pode ser utilizada para rastreamento de doenças como o câncer de mama, com detecção precoce e redução da taxa de mortalidade
  • É utilizada para orientar visualmente (fluoroscopia) cirurgias ortopédicas e tratamentos cardiovasculares
  • Permite que algumas doenças sejam tratadas de forma minimamente invasiva, através de procedimentos de radiologia intervencionista guiados por imagem, com menos riscos para o paciente e menor tempo de internação e recuperação

Saiba mais sobre radiologia no artigo: Radiologia: como funciona, especialidades, exames e procedimentos.

 

Quem pode ser um médico radiologista?


Antes de mais nada, você precisa ser um médico para se especializar em radiologia. Ou seja, o primeiro pré-requisito é ter feito os 6 anos de faculdade de medicina e se formado.

Então, depois desses anos, na hora de escolher a sua residência médica para começar a atuar, você deve escolher a residência em Radiologia e Diagnóstico por Imagem se essa é a área que você deseja seguir. Trata-se de uma residência (especialização) que dura 3 anos. Dentro deste período, aprende-se a interpretar imagens de diferentes tipos de exames radiológicos, tais como radiografia, ultrassonografia, densitometria, tomografia computadorizada e ressonância magnética.

O médico radiologista também aprende a realizar procedimentos intervencionistas para tratamento e/ou diagnóstico de uma ampla variedade de doenças, tais como biópsias guiadas por imagem, tratamentos endovasculares (p.e., angioplastias),  embolizações, ablação de tumores, neurólise percutânea, drenagem de coleções, drenagem biliar, nefrostomia percutânea, gastrostomia percutânea, infiltrações para tratamento de dor, e outros diversos procedimentos.

 

O que o médico radiologista faz?

radiologia intervencionista


Muitas pessoas acreditam que a função de um médico radiologista se limita a interpretação de imagens para diagnóstico. E apesar de isso ser, sim, uma grande parte da profissão, é uma visão muito limitada do que ele realmente pode fazer.

A verdade é que esse profissional pode atuar na área da radiologia intervencionista, além do diagnóstico por imagem.

 

Diagnóstico por imagem

Na área do diagnóstico por imagem, esse profissional irá atuar com diversos tipos de exames, como:

Portanto, o seu trabalho é garantir que os exames sejam realizados de maneira adequada pela equipe técnica local. Com exceção da ultrassonografia, que é realizada diretamente pelo médico radiologista, os demais exames são executados por técnicos em radiologia e biomédicos, sob orientação dos médicos radiologistas. Em contrapartida, a interpretação das imagens e elaboração dos laudos de todos eles é realizada exclusivamente por médicos radiologistas.

 

Radiologia intervencionista

Quando esse profissional atua na área da radiologia intervencionista, ele se especializa para fazer procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos.

Como comentado acima, há uma grande variedade de procedimentos realizados por médicos radiologistas intervencionistas, tais como biópsias guiadas por imagem (extrair uma pequena amostra de tecido para análise), terapêutica endovascular (p.e., implantar um stent endovascular), ablação de tumores, neurólise percutânea (para controle de dor), drenagem de coleções, drenagem biliar, nefrostomia ou gastrostomia percutâneas, infiltrações de medicamentos para tratamento de dor, e outros.

 

Qual a diferença do técnico em radiologia para o médico radiologista?


Essa é uma dúvida que muitas pessoas tem. Pois, existe o técnico em radiologia e o médico radiologista. Mas, qual é a diferença?

A princípio, uma das maiores diferenças é a formação desses dois profissionais. O médico radiologista passou por 6 anos de curso de medicina e outros 3 anos (ou mais) de residência médica e é um médico, enquanto o técnico passou apenas por 2 anos de formação técnica. Portanto, isso já é uma grande diferença.

Outra grande diferença são os papéis que cada um exerce dentro da Radiologia. Um técnico de radiologia só pode participar da preparação e execução dos exames de imagens (com exceção da ultrassonografia, que é um exame realizado exclusivamente por médicos radiologistas). Ou seja, ele atua e tem conhecimento para posicionar o paciente, realizar a captação das imagens e realizar seu pós-processamento, entretanto não tem conhecimento para interpretar as imagens obtidas. É aí que entrar o médico radiologista, que tem a função de interpretar as imagens geradas e produzir um laudo com seus diagnósticos.

E os biomédicos? Os biomédicos são profissionais que cursaram 5 anos de faculdade de Biomedicina e optaram por especializar-se em Radiologia ou Imagenologia. Seu papel na Radiologia é semelhante ao dos técnicos em Radiologia, tendo capacitação para operar os equipamentos e executar os exames, captando as imagens e realizando seu pós-processamento. Tal como os técnicos, não tem conhecimento para interpretar e laudar os exames.

Por isso, muitas vezes quem faz o exame não dá nenhum parecer ao paciente, pois é preciso esperar o médico radiologista analisá-lo e emitir o laudo médico com os resultados.

 

Como é a especialização em Radiologia?


Depois de se formar em medicina e fazer as mais de 7.000 horas que são exigidas para se tornar um médico, você precisa cursar a residência médica em Radiologia e Diagnóstico por imagem. Portanto, a residência em radiologia só começa depois dos 6 anos de graduação. Uma boa forma de decidir qual especialidade médica escolher é acompanhar o dia-a-dia de médicos das mais diversas especialidades durante a faculdade, conversando sobre sua rotina e desafios.

A residência médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem dura 3 anos, e só tem validade quando realizado em uma instituição aprovada pelo CFM, o Conselho Federal de Medicina. Após finalizar a residência médica, um médico se torna um médico radiologista “generalista”, ou seja, não possui nenhuma subespecialização. Neste momento, o médico radiologista precisa ser aprovado no exame teórico-prático do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) para obter o título de especialista em radiologia médica (médico radiologista).

Caso queira especializar-se ainda mais, o médico radiologista pode realizar mais 1 a 2 anos de especialização em uma das diversas subáreas de Radiologia, tais como Radiologia Abdominal, Radiologia Torácica, Radiologia Musculoesquelética, Neurorradiologia, Radiologia de Cabeça e Pescoço, Radiologia Intervencionista, Radiologia Mamária, Ultrassonografia e outras. A equipe da STAR Telerradiologia, por exemplo, é formada em sua totalidade por médicos radiologistas subespecializados nas várias subáreas da Radiologia.

 

Onde fazer a especialização em radiologia no Brasil?


Como foi falado anteriormente, a maneira de ser um médico radiologista é cursando uma residência médica na área de Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

E para você fazer essa especialização, é preciso ser médico e ser aprovado em um concurso para entrar em uma das instituições aprovadas pelo MEC. Para te ajudar, separamos uma lista com alguns dos melhores locais que oferecem essa especialização.

 

Hospital das Clínicas – FMUSP

hcfmusp

A Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo é reconhecida pelo pioneirismo e excelência no ensino e pesquisa. Possui o maior hospital da América Latina – o Hospital das Clínicas, com mais de um milhão de consultas ambulatoriais por ano, mais 232 mil atendimentos de urgências e emergências por ano, mais de 50 mil cirurgias por ano.

A FMUSP possui 54 programas de treinamento em áreas médicas reconhecidas, sendo uma delas Radiologia e Diagnóstico por Imagem. São 883 vagas credenciadas pela Comissão Nacional de Residência Médica para o 1º ano de Residência, distribuídas em especialidades básicas de acesso direto e vagas com pré-requisito, além dos chamados programas de anos adicionais/áreas de atuação. O detalhamento de cada prova consta em edital público explicativo. As inscrições ocorrem em outubro e geralmente as provas são aplicadas em novembro, dezembro e janeiro. Mais informações, neste link.

 

Hospital Albert Einstein

instituto albert einstein

Essa instituição, uma das mais renomadas na área da medicina, oferece diversos cursos de especialização na área da radiologia.

Já o programa de Residência Médica em Radiologia e Diagnóstico por Imagem do Hospital Albert Einstein é reconhecido pelo Ministério da Educação (MEC) e pelo Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR). Seus alunos contam com uma infraestrutura de equipamentos de alta tecnologia, além de poderem participar ativamente da rotina de todas as especialidades radiológicas (incluindo radiologia intervencionista).

O aprendizado prático supervisionado ainda permite que os alunos se habilitem a realizar diversos tipos de exames de imagem, desde os mais simples até os mais complexos. O programa também conta com aulas teórico-práticas diárias e reuniões multidisciplinares semanais. Além disso, oferece oportunidade de estágio internacional e participação em diversos cursos e eventos organizados pela Instituição.

O processo seletivo é constituído em duas fases, sendo a primeira uma prova, sob a responsabilidade da Fundação Carlos Chagas, e a segunda com entrevistas sob a responsabilidade do Hospital Israelita Albert Einstein. Mais informações, neste link.

 

Beneficência Portuguesa de São Paulo

beneficência portuguesa logo

Poucas são as instituições brasileiras que podem se orgulhar de uma trajetória de 160 anos de existência. A Beneficência Portuguesa de São Paulo faz parte desse seleto grupo. Fundado em 1859, o hospital foi pioneiro em diversos avanços da medicina e é, atualmente, o maior polo privado de saúde da América Latina em número de leitos.

Seu processo seletivo se divide em duas etapas: a primeira, em uma prova realizada em São Paulo; e a segunda, em entrevistas realizadas pelos supervisores de cada área. O processo seletivo para os Programas de Residência Médica da BP é realizado através da Fundação VUNESP. Mais informações, neste link.

 

Hospital Sírio-Libanês

hospital sirio libanes

O Programa de Residência do Hospital Sírio-Libanês é realizado sob a forma de curso de especialização, com características do aprofundamento científico e proficiência técnica decorrentes do treinamento em serviço.

O Sírio-Libanês é referência nacional e internacional na assistência à saúde de alta complexidade e pela estrutura com o que há de mais sofisticado em tecnologia. Assim, o maior compromisso com a Residência Médica é preparar profissionais para atuar no mercado de trabalho, com excelente embasamento tanto em experiência e como conhecimentos técnico-científicos.

Os residentes contam com a orientação de profissionais de elevada qualificação ética e técnica, nas diversas áreas que integram ou apoiam a prestação de serviços de saúde. Isso tudo aliado à estrutura do Sírio-Libanês.

Os objetivos do Programa de Residência Médica em Radiologia do Hospital Sírio-Libanês são fundamentalmente ligados à capacitação teórico-prática para atuação nas diversas modalidades do diagnóstico por imagem, incluindo o Raio-X, o Ultrassom, a Tomografia Computadorizada e a Ressonância Magnética. Para mais informações, clique aqui.

 

Onde atuar como Radiologista e qual a remuneração?


Uma vez finalizada a residência médica em Radiologia, o médico radiologista pode atuar em qualquer clínica ou hospital que realize exames por imagens radiológicas.

Como todo e qualquer exame de imagem realizado no Brasil exige que haja um médico radiologista como responsável técnico no local, e um médico radiologista para interpretar as imagens e elaborar seu laudo, há muita demanda por este tipo de profissional.

O médico radiologista, no mercado de saúde, pode atuar tanto no setor público quanto privado. A curiosidade é que, segundo um estudo do Instituto de Saúde Suplementar (IESS), o setor privado responde por cerca de 60% dos gastos com saúde do Brasil. O mesmo estudo apontou ainda que, desse total de gastos, cerca de 67% é gasto com saúde privada e 30% é gasto com remédios.

Uma grande vantagem desta especialização médica é a possibilidade de trabalhar em home office, pois a telemedicina como foco em radiologia, conhecida por telerradiologia, é uma realidade no Brasil há muitos anos e sua presença vem crescendo ano após ano. Dessa forma, o médico pode atuar praticamente 100% a distância, emitindo laudos a distância.

A remuneração de um médico radiologista pode variar bastante, de acordo com o local de atuação, subespecializações (anos adicionais de residência ou cursos de especialização), tempo de experiência e performance. Em geral, ela pode variar em média entre 5 a 60 mil reais por mês em valores atuais.

Com boa remuneração e uma série de benefícios, esta especialização é muito atrativa para médicos recém-formados. Apesar disso, há um possível risco para esta carreira no longo prazo, que é a adoção cada vez maior da Inteligência Artificial na área de Diagnóstico por Imagem. Para saber mais, vale a pena ler nosso artigo sobre o tema, aqui.